Asteroide passa perto da Terra nesta terça-feira


O astrônomo Scott Fisher, da Fundação Nacional de Ciências dos EUA, afirmam que Um asteroide de 400 metros de comprimento passará perto da Terra na terça-feira (8), em uma aproximação rara que não representa risco de impacto para o planeta. Quando eles se aproximar, às 21h28 (horário de Brasília) ele estará a apenas 324.600 quilômetros da superfície da Terra – mais próximo que a Lua.
O fenômeno representa uma ótima oportunidade para astrônomos de todo o mundo poderem estudar asteroides e sua rota.  Apesar problema de impacto na Terra. Até mesmo a influência gravitacional do asteroide não terá efeito detectável no planeta, não alterando as marés e muito menos nas placas tectônicas. 

Imagem do asteroide 2005 YU55 captada por telescópio Arecibo, em Porto Rico
A trajetória do asteroide 2005 YU55 é bem conhecida dos cientistas e não representa nenhum Se o tempo permitir, curiosos poderão ter a chance de ver, com o auxílio de um telescópio com lente de mais de 15 cm, uma pequena mancha do asteroide no céu, inclusive no Brasil. A melhor visualização, porém, será no Hemisfério Norte. Poucas horas depois de passar próximo a Terra, o 2005 YU55 terá o pico de luminosidade, que é 100 vezes mais fraco que o limite da visão humana. Centros de astronomia estão recrutando astrônomos amadores para medir o brilho do asteroide durante sua passagem perto da Terra.
"É a primeira vez desde 1976 que um objeto desse tamanho passa tão perto da Terra. Isso nos dá uma grande e rara chance de estudar um objeto próximo da Terra como esse", disse o astrônomo Scott Fisher, da Fundação Nacional de Ciências dos EUA, durante conversa com jornalistas pela Internet na sexta-feira (4).
A rocha tem cerca de 400 metros de diâmetro - do tamanho de uma navio-, e sua órbita e posição são bem conhecidas, acrescentou o pesquisador Don Yeomans, do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa, em Pasadena (Califórnia). Uma equipe do Instituto Americano Carnegie vai acompanhar a passagem do asteroide em busca de informações sobre a mineralogia de corpos do sistema solar primitivo. Cientistas da Nasa estão rastrear o 2005 YU55 da agência em Goldstone, Califórnia a cada quarto horas desde domingo (6 ) até quinta (10). O Observatório de Arecibo, em Porto Rico vai rastreá-lo a partir de terça-feira. 
Embora o 2005 YU55 esteja em órbita vizinha à Terra (e também de Venius e Marte), a passagem de 2011 será a mais próxima dos últimos 200 anos e um evento similar não voltará a ocorrer até 2028. O asteroide 2005 YU55 foi descoberto em 2005 por Robert McMillan, do projeto Spacewatch, grupo de cientistas que observa o sistema solar perto de Tucson, Arizona (sudoeste).

O objeto faz parte de um conjunto de 1.262 asteroides grandes, que giram ao redor do sol e têm mais de 150 metros de largura, que a Nasa qualifica como "potencialmente perigosos". "Queremos estudar estes asteroides, de forma que se algum dia formos atingidos, saibamos o que fazer com ele", disse Statler. A passagem mais próxima que um asteroide fará da Terra será em 2094, a uma distância de 269.000 km, segundo as previsões.
Segundo a Nasa, o asteroide é todo preto e tem forma quase esférica. Vai chegar a 325 mil quilômetros da Terra, 85% da distância da órbita lunar. Embora o YU55 transite regularmente perto da Terra (assim como de Vênus e de Marte), esta será sua maior aproximação, ao menos nos últimos 200 anos.http://ads.abril.com.br/RealMedia/ads/adstream_lx.ads/infoexame/plantao/1415902892/Bottom/AbrilDefault/default/empty.gif/75304134453036345769414143765469
A Nasa está usando dois gigantescos radiotelescópios para observar o YU55. O primeiro, em Goldstone, na Califórnia, conta com uma antena móvel de 70 metros de diâmetro.
O segundo é o conhecido radiotelescópio de Arecibo, em Porto Rico, com antena fixa de 305 metros de diâmetro. Com esses instrumentos, a agência espacial americana espera obter imagens detalhadas do asteroide amanhã.
As observações feitas em Arecibo mostram que o YU55 gira lentamente, com um período de rotação de cerca de 18 horas. Por causa da sua cor, descrita como “mais escura que carvão” pelos astrônomos em Porto Rico, ele não poderá ser observado facilmente por amadores. Para isso, será preciso usar um telescópio de grande abertura (15 centímetros ou mais).
A última vez em que um corpo celeste desse tamanho chegou tão perto do planeta foi em 1976. Mas, naquela época, os astrônomos não puderam prever a aproximação. Outra passagem próxima de um grande asteroide está prevista para 2028.
O que são Asteroides? Os Asteróides são corpos rochosos e metálicos que possuem órbita definida ao redor do Sol. São semelhantes aos meteoros, porém em dimensões bem maiores. Possuem forma e tamanhos indefinidos. Conhecemos hoje cerca de 600 asteróides, e muitos são descobertos a cada ano, dos já conhecidos 26 possuem diâmetro superior a 200 Km, os que estão entre 10 e 100 Km são conhecidos apenas a metade.  São desconhecidos quase todos os de menor tamanho, acredita-se que existam cerca de 1 milhão destes. Se juntássemos a massa de todos os Asteróides conhecidos, ela seria inferior à massa da Lua. 
Foto: NASA/Cornell/Arecibo
Asteroide passa perto da Terra nesta terça-feira Asteroide passa perto da Terra nesta terça-feira Reviewed by Walter Rafael Bezerra on 11/07/2011 08:23:00 PM Rating: 5

WRB nas redes sociais