Destaques do Mês

Eleitor pode conferir situação do título e local de votação pela internet Por que não veremos carros elétricos populares no Brasil tão cedo? Anatel aprova medida para reduzir preço de ligações entre celulares Google cria 'hackers de elite' para melhorar segurança na internet

Brasil tem 18 universidades em ranking com as 1.000 melhores do mundo Morre em acidente aéreo o candidato à presidência, Eduardo Campos em SP

ADCR realizou a I Noite Romântica com louvor, palestra e um jantar romântico Mal de Alzheimer poderá ser antes diagnosticado através dos olhos Por que crianças não devem ter tablets e smartphones antes dos 12 anos Agora você pode cancelar telefonia e internet sem precisar de atendentes

Governo do Estado avança com obras da adutora Translitorânea

O Governo da Paraíba avança com a maior obra hídrica financiada pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para reforçar o abastecimento d'água da região polarizada por João Pessoa. A adutora, com 27 km de extensão (de Alhandra à Estação de Tratamento de Água – Gramame), já está concluída e testada. A ampliação da Estação de Tratamento de Água (ETA), em Gramame, está com 95% dos serviços concluídos, enquanto 85% da obra da Estação Elevatória, em Alhandra, estão prontos, e a Estação de Captação está 45% concluída.
Quando toda obra ficar pronta, mais de um milhão de pessoas terão água garantida em suas torneiras pelos próximos 20 ou 30 anos.

A primeira etapa dos serviços de ampliação do sistema, mais conhecida como Translitorânea, recebe investimentos de mais de R$ 130 milhões. O presidente da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa), Deusdete Queiroga, explicou que o sistema adutor vai captar água no rio Popocas, no município de Alhandra, no Litoral Sul. A obra já empregou 800 operários, mas atualmente 203 trabalhadores atuam na construção da Translitorânea.
Deusdete Queiroga adiantou que a obra vai ampliar a vazão de 1.800 litros d'água por segundo para 2.400 litros/s. "O sistema compreende um canal de derivação, a captação, a estação elavatória, a adutora de 27 km de extensão e a estação de tratamento d'água de Gramame.  A obra vai reforçar a oferta de água tratada para João Pessoa, Bayeux, Cabedelo e o Distrito de Várzea Nova, em Santa Rita”, reforçou o presidente da Cagepa.
A Translitorânea teve suas obras paralisadas em outubro de 2010 por causa de problemas no Tribunal de Contas da União e na Caixa Econômica Federal. Ao assumir o governo em janeiro de 2011, o governador Ricardo Coutinho começou a trabalhar no destravamento do projeto e as obras foram retomadas.
O engenheiro da Cagepa e responsável pela fiscalização da obra, Luiz Rômulo Oliveira Araújo, informou que a bacia dos tanques de produtos químicos e o canal de mistura na ETA – Gramame está em fase de conclusão. Da Estação Elavatória 4, em Alhandra, consta o Reservatório Apoiado (RAP). Também em Alhandra está sendo construída a Estação Elevatória de Água Bruta 2, que inclui um canal que retira o excesso de areia da água captada no rio e transporta o líquido até a ETA em Gramame.

Segunda etapa - Deusdete Queiroga revelou que está prevista uma segunda etapa do sistema adutor Translitorânea, que envolverá aproximadamente R$ 150 milhões. Esta etapa compreenderá uma nova barragem de acumulação e um novo trecho de adutora, de 11 quilômetros, também com a água chegando na Estação de Tratamento de Gramame.
Secom-pb, fotos de Kleide Teixeira
#Compartilhe:
get our extension
© Blog Jornalista WRB Todo o conteúdo está publicado sob a licença: CC BY-NC 4.0 | Theme Designed by Seo Blogger Templates e Adaptado por Natan Cardoso.