Plataforma Intergovernamental unirá pesquisadores e tomadores de decisão para fortalecer o uso do desenvolvimento científico

Será realizada em Bonn, Alemanha, de 21 a 26 de janeiro, a primeira reunião plenária da Plataforma Intergovernamental de Ciência e Política sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (IPBES, na sigla em inglês), visando estabelecer os procedimentos e as regras de funcionamento deste novo órgão, estabelecido por 94 países em abril de 2011, na Cidade do Panamá. O IPBES é administrado em conjunto pelo Programa das Nações Unidas para Meio Ambiente (Pnuma), Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), e Fundo das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO). Este evento foram agendados representantes de 103 países.
Durante o evento, que reunirá representantes de 103 países no Centro Mundial de Convenções, serão eleitos os membros da Mesa Direitora e criado um painel multidisciplinar de peritos pertencentes a cada região da Organização das Nações Unidas (ONU), além de se estabelecer uma agenda contendo os próximos passos da IPBES. A plataforma foi criada para ser um órgão de consultoria, encarregado de subsidiar todas as conveções com atividades relacionadas à biodiversidade, como a sobre Diversidade Biológica (CDB), Ramsar (sobre zonas úmidas), Comércio Internacional de Espécies da Flora e Fauna Selvagens em Perigo de Extinção (CITES), e sobre a Conservação de Espécies Migratórias Selvagens.
A plataforma é uma interface entre a comunidade científica e os tomadores de decisão que visa capacitar e fortalecer o uso do conhecimento científico, explica a diretora do Departamento de Conservação da Biodiversidade (DCBio) da Secretaria de Biodiversidade e Florestas (SBF), Daniela Oliveira, que representará o Ministério do Meio Ambiente (MMA) na Alemanha. Nesta primeira sessão plenária, o MMA levará algumas propostas à discussão. Para Daniela Oliveira, é preciso definir se a Plataforma terá estruturas regionais, qual será sua composição, estabelecer a formação dos grupos de cientistas, e esclarecer de que forma os pedidos serão encaminhados entre outros temas a serem debatidos.



Biodiversidade de terrestres, marinhos, costeiros e ecossistemas interiores de água fornece a base para os ecossistemas e os serviços que eles fornecem que sustentam bem-estar humano. No entanto, eles estão diminuindo a um ritmo sem precedentes, e, a fim de responder a este desafio, adequadas políticas locais, nacionais e internacionais precisam ser adotadas e implementadas. Para conseguir isso, os tomadores de decisão precisam de informação cientificamente credível e independente, que leva em conta as complexas relações entre a biodiversidade, os serviços ambientais e as pessoas.
Eles também precisam de métodos eficazes para interpretar esta informação científica, a fim de tomar decisões informadas. A comunidade científica também precisa entender as necessidades dos tomadores de decisões melhores, a fim de proporcionar-lhes a informação relevante. Em essência, o diálogo entre a comunidade científica, governos e outras partes interessadas sobre a biodiversidade e serviços do ecossistema precisa ser fortalecida
Para este fim, uma nova plataforma foi estabelecida pela comunidade internacional - a "Plataforma Intergovernamental sobre Biodiversidade e Serviços dos Ecossistemas" (IPBES). IPBES foi criada em abril de 2012, como um órgão independente intergovernamental aberto a todos os países membros das Nações Unidas. Os membros são comprometidos com a construção IPBES como o principal organismo intergovernamental para avaliar o estado da biodiversidade do planeta, seus ecossistemas e os serviços essenciais que prestam à sociedade.
Repórter: Luciene de Assis
Plataforma Intergovernamental unirá pesquisadores e tomadores de decisão para fortalecer o uso do desenvolvimento científico Plataforma Intergovernamental unirá pesquisadores e tomadores de decisão para fortalecer o uso do desenvolvimento científico Reviewed by Walter Rafael Bezerra on 1/16/2013 11:23:00 AM Rating: 5

WRB nas redes sociais