No sertão de Pernambuco, Presidente Dilma visita áreas desabrigadas

A Presidente do Brasil Dilma Rousseff, está hoje (25) de março, visitando a cidade de  Petrópolis, no Estado de Pernambuco, para visitar as áreas desabrigadas que já chegam mais de 1.074 pessoas e em Cachambú são 15 mil pessoas, com suas famílias em áreas de risco. A presidente visitou Pernambuco há 13 meses onde passou dois dias no sertão pernambucano para acompanhar o problema da seca. A grande diferença está na mudança de discurso do governador e presidente do PSB, Eduardo Campos, que deixou de lado os afagos de aliado para passar a ser um crítico da gestão da presidente.
Campos é dado como nome praticamente certo na corrida à Presidência em 2014. Por isso, é grande a expectativa no meio político para os discursos que Eduardo e Dilma farão ao público. Em Pernambuco, a presidente irá até Serra Talhada (414 km do Recife) para inaugurar um trecho da adutora do Pajeú, que atende a 80 mil famílias no sertão pernambucano.
Além dos chefes do Executivo, o evento terá a presença do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, que é do PSB, foi indicado por Campos para a pasta e já teve seu nome cotado, inclusive, para a sucessão de Eduardo em Pernambuco.
Dilma Rousseff abre a Assembleia Geral da ONU. Em seu discurso, a presidente defendeu a entrada da Palestina como membro efetivo da ONU Leia mais Shannon Stapleton/ Reuters
Dilma também iria a Recife, onde iria inaugurar um dos lote das obras de duplicação da BR-408, mas cancelou a visita para ir ate o Rio Janeiro, para visitar as cidades atingidas pelas chuvas.
Nas últimas semanas, Eduardo Campos tem deixado cada vez mais claro seu interesse em disputar a Presidência no próximo ano. Prova disso é que participa de eventos --especialmente com empresários do Sudeste (considerado o ponto fraco do governo petista)-- para aumentar a popularidades, e, ao mesmo tempo, aumenta o tom das críticas à presidente Dilma.
Eduardo não esconde mais que mudou de lado. Nas últimas semanas, ele críticou o "lançamento" antecipado da campanha de reeleição de Dilma Rousseff pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a MP (Medida Provisória) dos Portos e o mal desempenho da economia em 2012. Em  encontro com empresários paulistas, no último dia 14, ele afirmou que "dá para fazer muito mais" que a presidente Dilma Rousseff.
No último dia 15, resolveu se encontrar secretamente com o tucano José Serra, a quem fez elogios. "Esse campo em que Serra sempre militou é um campo mais próximo do nosso campo político do que muita gente que está conosco e esteve conosco na base de sustentação do presidente Lula. Todo mundo sabe disso", afirmou o governador, na ocasião.
Campos também flerta com PTB e DEM, que são aliados do governo em Pernambuco. Nas entrevistas, porém, ele despista quando o assunto é candidatura e deixa sempre claro que não vai lançar seu nome em 2013.  "Este é um ano complexo para o Brasil, que não precisa de ninguém agora montando palanque, nem daquela velha rinha discutindo o passado, coisas que não dialogam com a pauta do povo. Não é possível eleitoralizar a política brasileira tanto assim. Essa é minha opinião", disse em Gravatá (90 km do Recife), no último dia 21 de fevereiro.
  • "Amigo"
Já Dilma tem evitado falar sobre 2014. as últimas visitas que fez ao Nordeste evitou dar entrevistas coletivas e não citou Eduardo Campos nenhuma vez.  Coube então ao ex-presidente Lula comentar que vai tentar demover Campos da candidatura cada vez mais sólida.
"Todo sabe que sou muito amigo do Eduardo. O meu papel é tentar fazer todo o esforço para que a gente fique junto. Eu não conversei com Eduardo esse ano, teve a questão das férias. Mas agora vou voltar a conversar. Eu acho que nós temos de construir uma aliança muito forte. O Eduardo é uma personalidade que pode desejar qualquer coisa nesse país", disse no início do mês, em Fortaleza, durante encontro do Diretório Nacional do PT.
  • Pesquisa
As constantes aparições na mídia nos últimos dias tiveram impacto na corrida pela sucessão dos dois prováveis candidatos à Presidência, especialmente para o governador pernambucano que, aos poucos, vai ganhando "fama" pelo país.
Segundo pesquisa Datafolha, divulgada na sexta-feira (22), Dilma cresceu nas intenções de voto. A presidente chegou a 58% das intenções (contra 54% da última pesquisa, em 12 de dezembro de 2012). Já Eduardo Campo oscilou dentro do limite da margem de 4% para  6%.
Marina Silva (Rede) e Aécio Neves (PSDB) também oscilaram dois pontos percentuais para menos e agora têm 16% e 10% das intenções de voto, respectivamente.
Fonte: Uol Notícias
Foto capa: oglobo.globo.com
No sertão de Pernambuco, Presidente Dilma visita áreas desabrigadas No sertão de Pernambuco, Presidente Dilma visita áreas desabrigadas Reviewed by Walter Rafael Bezerra on 3/25/2013 12:31:00 PM Rating: 5

WRB nas redes sociais