Master #06: Dicas para uma melhor convivência entre os condôminos

Olá leitores do Blog WRB, esse é o primeiro artigo da série: Dicas de Administração de Prédios. Acompanhe toda a série, clicando aqui. Nesse Artigo Master vamos dar dicas para uma melhor convivência no condomínio, a chamada “política de boa vizinhança”. Você se dá bem com seus vizinhos? Manter um relacionamento amistoso com o morador do lado é imprescindível para cultivar amizades e evitar futuros atritos. Em condomínios a situação é ainda mais singular, onde a união entre a vizinhança é decisiva para fortalecer interesses em comum, num lugar onde se dividem regras, espaços e vivências.
E, a partir de algumas atitudes e comportamentos, é normal que surjam desavenças e desentendimentos. No entanto, alguns casos podem chegar até a polícia, em que a maioria das ocorrências é desencadeada por motivos fúteis, como som alto, lixo, animais de estimação, entre outros. Em um prédio podemos encontrar moradores que gostam de música alta e os que têm cachorros barulhentos. Mas há também os que prezam pelo silêncio que buscam seguir à risca todas as regras. Como garantir a harmonia entre pessoas que se comportam de maneiras tão diferentes e dividem a área comum? Veja a seguir dicas sobre temas específicos que podem trazer o melhor convívio entre os condôminos.

Presença de animais

Existe condomínios que proíbem totalmente animais, já outros aceitam animais domésticos de pequeno porte, seja ele gato, ave ou cachorro. Isso porque existe pessoas que não gostam de nenhum tipo de animal, seja por causa do barulho ou dos pelos que deixam. Então se você tem um animal de estimação e seu prédio permite a presença dele, é necessário seguir algumas atitudes de boa vizinhança que podem ser tomadas pelos donos dos bichos.
Mesmo que não seja obrigatório, é preferível usar o elevador de serviço para transitar com animais, que devem estar com coleira no colo do dono e até focinheira. Caso o seu cão tenha porte grande espere o elevador ficar vazio para descer com o seu pet, pois é comum encontrar condôminos com pavor de bichos, o que será desagradável para todos, inclusive para o animal.
As áreas comuns do prédio não são locais adequados para passear com seu animal, mesmo que você recolha as fezes dele. Pense nas crianças que brincam e passeiam por ali e podem se contaminar. As ruas, bosques e parques são lugares adequados.
Recolher as fezes do animal, caso ele faça em áreas comuns do condomínio: isso é mais que uma regra, mas sim uma questão de bom senso, etiqueta e higiene. Lembre-se de manter a vacinação em dia e também sua higiene, evitando pulgas, carrapatos e outros contratempos.
Quando o animal de estimação do seu vizinho estiver fazendo muito barulho, primeiramente, converse com o dono. Muitas vezes, o proprietário do cão ou gato passa o dia inteiro fora de casa e nem sabe que o animalzinho está causando transtorno.
Em condomínios, estamos muito mais próximos uns dos outros e utilizamos as mesmas dependências, cães menores são mais indicados para morar em um apartamento, apesar de geralmente latirem mais do que cães maiores; lembre-se quando o cão é barulhento, o dono está invadindo o espaço do vizinho, por isso muitas das vezes é necessário adestrar os animais para viver em prédios e não deixar que se agrave, pois pode haver vizinhos descontentes que vão apelar para a Justiça.
Se você mora num apartamento e pretende ter um animal de estimação, é importante pesquisar sobre a raça escolhida: temperamento, convivência com crianças e adultos, barulho e latido, companhia. E se você passa a maior parte do tempo fora de casa e não tem ninguém para ficar com o cão, evite raças que precisam de companhia em tempo integral, como a raça Yorkshire. Mesmo assim, é possível educar seu cão desde pequeno, distraindo com brincadeiras e carinho, assim ele não pegará esse hábito, e tornará a convivência mais harmoniosa entre os vizinhos.

Uso das áreas de lazer

Evite utilizar bronzeadores se for entrar na piscina. Esses produtos soltam gordura e acabam sujando a água. Além disso, ninguém é obrigado a usar bronzeador por tabela. Animais não devem ser trazidos para a área, pois podem contaminar a água e até mesmo causar acidentes.
O condomínio deve limitar o horário de uso de quadras, playground e churrasqueiras em seu Regulamento Interno, além de colocar sinalizações para lembrar que os limites de barulho e horário deve ser respeitado.
Evite correr em volta da piscina, assim como dar saltos que molhem as pessoas que estão fora. Boa parte dos condomínios não permite levar aparelhos de som, pois se trata de um espaço comum.
Também atente para o consumo de comidas e bebidas na área da piscina. Eles devem ser consumidos fora da piscina para evitar contaminar a água. Prefira alimentos que não fazem sujeira e utilize copos e pratos de plásticos para evitar cortes e acidentes com vidro.

Participação das Assembleias Gerais

Em reunião de assembleia escute o que seu vizinho está falando. Se você não concordar, procure discordar da ideia e não da pessoa, evitando rixas. Diferenças de personalidade e estilos de vida é mais do que normal, não podemos querer que todos sejam iguais a nós.
O que podemos manter é o respeito e não “invadir” o espaço, ou seja, a privacidade do outro. Se uma discussão virar agressão, tome iniciativa de “esfriar” o clima. Podem motivar até processos por calúnias e danos morais: constrangimento público, denúncias sem provas, informações baseadas em boatos.
Procure conhecer o Regulamento Interno de seu condomínio, para poder propor melhores ideias.  Tente cumprir o horário de início das reuniões, para que os trabalhos não se estendam tornando cansativo. Evitando também, voltar a questões que já foram debatidas na sua ausência.

Barulhos e ruídos

O problema de barulho excessivo não se restringe apenas uma questão de regulamento do condomínio, mas de atenção com o seu conforto e o do vizinho. Sempre que for realizar uma festa, uma reunião ou qualquer atividade ruidosa, pense no incomodo que pode gerar, em pessoas que tem filhos pequenos, alguém que está cansado ou tentando dormir, e até estudando.
Portanto analise bem o local adequado, evitando conflitos desnecessários. É preciso também saber a quantidade de convidados e a capacidade da área. Toda festa precisa de música, mas dentro de um volume razoável, que não incomode os vizinhos. O som pode ficar ligado até às 22h. Após a festa, deixe o local limpo ou acerte com o condomínio uma taxa de limpeza, para que um profissional deixe o local organizado e limpo.
Em reformas, mudança de móveis de lugar ou trabalho com furadeiras, utilize o horário comercial, que não se estenda por muito tempo e fora do fim de semana, para incomodar o mínimo possível. Lembre-se que até de manhã há um limite para o ruído emitido, que é estabelecido pelo Regulamento Interno do edifício.
Muitas vezes seu vizinho do andar de baixo pode se incomodar com ruídos frequentes, como o baralho de um salto alto, móveis se arrastando ou crianças correndo. Essa situação é extremamente comum, e pode acontecer por causa do falta do isolamento acústico na construção. Para contornar esse problema e evitar brigas, pense em soluções alternativas como restringir o horário desse tipo de ruído, ou mesmo colocar tapetes ou carpetes para abafar ou isolar os sons.
Se algum barulho de qualquer natureza incomoda a coletividade dos condôminos, o condomínio pode discutir providências, como multas e advertências e até ações judiciais se o problema for repetido. Primeiro, o morador incomodado deve encaminhar a sua reclamação ao porteiro e este devidamente treinado para abordagens do gênero, tomará as primeiras providências junto ao morador infrator. Em caso de reincidência, o síndico deverá enviar advertência por correspondência formal, carta protocolada, que servirá de respaldo para sua atuação, inclusive no caso de uma ação judicial. Se o morador barulhento insistir na infração, deve ser aplicada multa de acordo com o previsto no Regulamento Interno do condomínio. O ideal é que as multas sejam registradas e referendadas em assembleia, e o infrator deve ter o direito de se defender.

No Elevador

Um simples “bom dia” melhora a convivência e deixa o ambiente mais agradável. Esperar as pessoas descerem antes de entrar no elevador, segurar a porta para as pessoas entrarem demonstra gentileza e cordialidade, e ajuda a tornar o ambiente mais afável. No entanto, ficar de bate-papo segurando a porta do elevador pode muita gente enfurecida ao mesmo tempo.
Tenha bons modos mesmo que esteja sozinho. Lembre-se que a maioria dos prédios, atualmente, têm câmeras de segurança. Circular sem camisa, em roupas de banho ou em pijamas pelo prédio é deselegante e pode causar desconforto entre os vizinhos.
No elevador, é terminantemente proibido fumar. Além disso, com a lei anti-fumo que vigora em alguns Estados brasileiros, também fica proibido fumar em algumas áreas comuns do prédio que tenham toldos, por exemplo.
Elevador não é brinquedo: é preciso ensinar as crianças a não apertarem diversos botões, pois podem danificar o elevador, prejudica o dia a dia das pessoas e pode até causar acidentes. Suba com o carrinho de supermercados e com sacolas de compras pelo elevador de serviço. Assim, você evita desconforto no caso de visitantes que queiram utilizar o elevador social.
Mesmo que não seja obrigatório, é preferível usar o elevador de serviço para transitar com animais, que devem estar com coleira no colo do dono e até focinheira. Caso o seu cão tenha porte grande espere o elevador ficar vazio para descer com o seu pet, pois é comum encontrar condôminos com pavor de bichos, o que será desagradável para todos, inclusive para o animal.

Na garagem

Quando alguém estaciona seu carro fora da demarcação da vaga, atrapalha a vida de muita gente, que o carro ao lado tem de ser parado também fora da demarcação, criando assim um “efeito cascata” que pode ser evitado com um pouco de vontade. Mesmo se for por “cinco minutinhos” não é uma boa ideia parar fora do lugar. Evite brigas e prejuízos, com um simples abrir de porta para não bater no do lado. Não utilize sua vaga como deposito de objetos ou entulho, use apenas para estacionar seu veículo.

Lixo pela janela?

Não jogue papéis, bitucas de cigarro ou quaisquer outros tipos de lixo pela janela do apartamento. Lembre-se que área comum do condomínio é mais agradável quando limpa, valorize o bem comum e seu patrimônio. Mesmo com as constantes limpeza realizada pelos funcionários, uma bituca de cigarro pode ficar por horas sujando essa extensão de nossa casa, e as crianças podem ficar expostas a essas sujeiras. Também importante instruir seus filhos e visitantes para não descartar quaisquer objetos pela janela.

O que você achou desse artigo e da nova série especial? Comente abaixo! Acompanhe toda a série, clicando aqui. Saiba mais sobre essa série, aqui. Essa série é baseada no livro “Dicas de Manutenção e administração predial” escrito pela Efetiva - Administradora de Condomínios. Nosso próximo artigo da série é sobre a manutenção e documentação predial e será publicado dia 03/08 (sábado).
Master #06: Dicas para uma melhor convivência entre os condôminos Master #06: Dicas para uma melhor convivência entre os condôminos Reviewed by Natan C. Bezerra on 7/27/2013 08:00:00 AM Rating: 5

WRB nas redes sociais