Capacitação de policiais do Programa Mulher Protegida começa na Capital

Cerca de 60 policiais militares do Distrito Integrado de Segurança Pública de Mangabeira participaram, nesta terça-feira (29), no Centro de Ensino da Polícia Militar, em João Pessoa, da primeira capacitação para atuar no Programa Mulher Protegida e no SOS Mulher implantado pela Secretaria de Segurança Pública com apoio da Secretaria da Mulher e da Diversidade Humana.

Segundo a secretária executiva da Mulher, Nézia Gomes, a capacitação será continuada e abrangerá policiais que atenderão nas áreas piloto de implantação dos programas. Ela citou que a atuação da polícia em parceria com as delegacias da mulher já refletem na redução de 14% dos homicídios na Capital e de 47% no Estado. A equipe da Delegacia da Mulher de João Pessoa e da Gerência de Equidade de Gênero, da SEMDH, fez a capacitação para os policiais sobre violência doméstica, gênero e rede de atendimento.

O major Carlos Sena, do 5º Batalhão da Polícia Militar, disse que a capacitação será importante para qualificar os policiais que atuarão no atendimento humanizado das mulheres em situação de violência em 10 bairros. “Acreditamos que o preconceito foi quebrado com a implantação da Lei Maria da Penha, mas a capacitação é fundamental para gerar conhecimento e promover mudanças de mentalidade na corporação”, disse o major Carlos Sena.

A delegada da Mulher de João Pessoa, Maísa Araújo, disse que a parceria da PM resultará em ações positivas no acompanhamento das medidas protetivas e também no sucesso do SOS Mulher, no sentido de garantir a proteção das mulheres em risco iminente de morte. “Nossa orientação é sobre procedimentos policiais previstos na legislação que deverão ser cumpridos e efetivados com agilidade. Por exemplo, no caso de agressão à mulher caberá ao policial fazer o encaminhamento direto para delegacia e não mediar ou dar soluções no local da denúncia”, afirmou.

Patrulha Mulher Protegida

Formada por policiais civis e militares capacitados para acompanhar e fiscalizar se a medida protetiva é realmente cumprida pelos agressores, através de visitas domiciliares nas casas das mulheres em situação de violência em João Pessoa e Campina Grande, já que a Lei Maria da Penha não tem um dispositivo que garanta a fiscalização da medida protetiva. A PM acompanhará a partir de seus quadrantes.

SOS Mulher

Monitoramento eletrônico de mulheres ameaçadas de morte em João Pessoa e Campina Grande. O serviço oferece celulares com dispositivo de alerta – três botões ligados diretamente à Delegacia da Mulher e Polícia Militar – que poderão ser acionados em caso de proximidade de ataque do agressor. O celular terá o botão verde que significa que não há perigo; o amarelo para risco onde o agressor está rondando a casa da vítima ou nas proximidades e o vermelho para risco total, onde o agressor já está constrangendo ou fazendo ameaças. Ela receberá o celular e as orientações do uso na Delegacia da Mulher de João Pessoa e Campina Grande como mais um mecanismo de proteção, além de ser encaminhada para a Defensoria Pública e solicitado medida protetiva.


FonteSecom PBFotoAssessoria Secretaria da Mulher 
Capacitação de policiais do Programa Mulher Protegida começa na Capital Capacitação de policiais do Programa Mulher Protegida começa na Capital Reviewed by Walter Rafael Bezerra on 4/29/2014 07:14:00 PM Rating: 5

WRB nas redes sociais