Governo do Estado abre 20º salão de artesanato da Paraíba em Campina

A criatividade e a técnica de 500 artesãos estarão expostos em seus trabalhos no 20º Salão do Artesanato da Paraíba até o dia 6 de julho, numa área de 3.800 metros quadrados antes ocupada pela concessionária Ourovel, no bairro do Catolé (Avenida Severino Bezerra Cabral (antiga Avenida Brasília). O fato de Campina Grande estar sendo visitada por muitos turistas durante o Maior São João do Mundo tornou-se estratégico para a realização do Salão de Artesanato. O evento foi aberto na noite desse sábado (14) e vai até o dia 06 de julho.


O governador Ricardo Coutinho desejou aos artesãos bons negócios e explicou que a estratégia de apoio governamental ao setor se baseia na premissa da qualificação da produção e da sua apresentação, visando conquista de mercados. O Governo do Estado destinou crédito de mais de R$ 1 milhão para que os artesãos invistam em matéria prima e produzam mais.

Pâmela Bório, revelou que a tipologia homenageada neste ano é a cerâmica com e o tema é “Da terra, a nossa arte”. “Esse é o espaço que contempla toda uma expressão cultural da Paraíba, do artesanato à gastronomia, com iguarias típicas às vestimentas tradicionais, utensílios diversos”, explica. Ela afirma que ano após ano, o evento tem conseguido aumentar o volume de vendas e ampliar o número de visitantes. Os 500 expositores desta edição do salão representam os 6 mil artesãos cadastrados no PAP. Agrupamentos quilombolas e indígenas também expõem seus talentos. “Esse é um espaço realmente de representação da nossa identidade, espaço de manifestação da nossa autenticidade”, diz Pâmela Bório.

O vice-governador Rômulo Gouveia disse que a expectativa é de que mais uma vez as vendas batam recordes. Ele lembrou que arranjos produtivos estão sendo financiados pelo Empreender-PB, programa de crédito subsidiado do Governo do Estado destinado à área produtiva.

O evento foi aberto na noite desse sábado (14) pelo governador do Estado , pela primeira-dama do Estado e presidente do Programa de Artesanato da Paraíba (PAP), Pâmela Bório, e pelo vice-govenador Rômulo Gouveia. Também participaram da solenidade de abertura do salão a deputada Eva Gouveia, os secretários Thompson Mariz (Planejamento e Gestão), Renato Feliciano (Turismo e Desenvolvimento Econômico), Gilma Germano (Interiorização), Ruth Avelino (PBTur) e Eduardo Moraes (executivo do Empreender).
Telão para Copa – Visitantes e artesãos podem acompanhar o jogos da Copa do Mundo em uma área com telão instalado, de maneira que quem estiver trabalhando ou em visita não deixa de acompanhar o maior evento do futebol mundial.

Ladjane Barbosa, gestora do PAP, afirmou que o objetivo do salão é proporcionar boas vendas e ampliar a exposição da criação: “Talento é o que não falta a esses artesãos”. Ladjane disse que tem recebido e-mails de lojistas de vários Estados confirmando presença para realizar negócios com os artesãos, com perspectiva de fazer grandes encomendas.

A primeira área do salão foi reservada para os artesãos ceramistas, entre eles Nevinha Paiva, Chico Ferreira, Tê Cavalcanti e Francicleide Cavalcanti, esta última natural de Campina Grande e hoje residindo em Alhandra. Ela e o marido organizam oficinas para ensinar jovens da região a técnica de criar artesanato a partir da argila. O casal levou para o salão 50 peças, algumas esculturas de santos com mais de um metro de altura.

Lindalva Maria Andrade e Ana Andrade Nery, mãe e filha, produzem bonecas de pano no atiliê que montaram em sua casa no bairro de Mangabeira, em João Pessoa. Já participaram de feiras em vários Estados e mais uma vez estão expondo em Campina Grande. A artesã Rildaci Alves, de Acaú, praia de Pitimbu, desenvolve a arte com casco de marisco triturado. Já Tereza Júlio, de Cabedelo, há 11 anos usa a técnica do artesanato com escamas de peixe e produz belas flores e objetos. “Temos hoje 50 mulheres paraibanas trabalhando essa arte. Aqui, mais uma vez, venderemos todas as peças. Se a gente traz R$ 10 mil em peças, todas são vendidas e o lucro é ótimo”, garante.

Todas as tipologias do artesanato paraibano estão expostas: fios, madeira, algodão colorido, fibra, cerâmica, couro, tecelagem, brinquedo, pedra, metal, osso, artesanato indígena, cordel, xilogravura e habilidades manuais, além da própria gastronomia regional, que conta com área específica.

Maior visibilidade – O superintendente do Sebrae, Luiz Alberto Amorim, acha que a nova área onde está o Salão de Artesanato garante maior visibilidade ao próprio evento e, consequentemente, à produção artística. “O salão está a apenas dois quilômetros do Parque do Povo, onde se realiza a maior festa junina popular do mundo, com proximidade também da rede hoteleira e na principal avenida da cidade. Então a expectativa é que as vendas superem ás do ano passado”, argumenta.

Serviços do Salão

O Programa do Artesanato Paraibano é vinculado à Secretaria de Estado de Turismo Desenvolvimento Econômico. O evento conta com o apoio do Governo Federal, Programa de Artesanato Brasileiro (PAB), Sebrae-PB e Governo do Estado da Paraíba. Desde o sábado até o dia 29 deste mês, o salão ficará aberto ao público de 11h até 22h, e no período que vai do dia 30 de junho a 6 de julho o horário de visitação será de 15h às 22h.


FonteSecom PBFotoRoberto Guedes
Governo do Estado abre 20º salão de artesanato da Paraíba em Campina Governo do Estado abre 20º salão de artesanato da Paraíba em Campina Reviewed by Walter Rafael Bezerra on 6/16/2014 12:20:00 PM Rating: 5

WRB nas redes sociais