Pequenos negócios podem crescer com redes sociais e buscadores na web

“Produzir conteúdo de qualidade nas redes sociais é uma ótima ideia. Com um trabalho adequado, você terá esse conteúdo compartilhado por um número maior de pessoas. O uso de hashtags fortes também é fundamental. As marcas de moda, por exemplo, exploram muito bem essa ferramenta. Divulgam looks e utilizam hashtags referentes àquele estilo. Há várias formas de associar esse recurso ao produto ou serviço que se está vendendo”, afirma.

Outras redes sociais, muitas vezes esquecidas pelos empreendedores, também têm sua relevância. “Não é só Facebook e Twitter. Há marcas fazendo trabalhos muito bacanas no Instagram, no Pinterest e até por Snapchat”, acrescenta Lívia.  De acordo com Alex Pinhol, fundador da WebFoco, agência especializada em marketing digital, é fundamental investir em redes sociais desde o início.

“Conforme o negócio vai crescendo, as redes acompanham, com aumento de curtidas, da interação e do engajamento. Quando a empresa estiver maior, já há uma base nas redes. Aí você pode investir ainda mais”, aconselha.

Fique bem no Google

Pensar em como produzir o conteúdo do site também é essencial para que o e-commerce ganhe destaque nos sites de busca, que são fortes aliados da divulgação na internet. O Google, maior buscador online, não divulga todos os fatores que a empresa leva em consideração, mas sabe-se que a qualidade e a relevância do conteúdo dos sites é fundamental.

“Você precisa de investimento. Ele pode ser pequeno em dinheiro, mas será grande em tempo. O que o cliente procura na busca? Muitas vezes ele não conhece a loja ou o produto, mas está em busca da solução para algum problema. É mais inteligente pensar no seu produto como essa solução e em como descrevê-lo adequadamente, quais palavras utilizar para levar pessoas ao seu e-commerce. As palavras-chaves que descrevem o produto, as que são usadas na URL de cada link. Isso tudo é produção de conteúdo”, pontua Lívia Lampert.

Segundo a especialista, ainda é possível utilizar o próprio cliente pode ajudar a loja virtual à melhorar o posicionamento nos buscadores. “Peça para que os clientes produzam reviews e comentários. Essas reviews também contam bastante para melhorar o posicionamento nos buscadores. Não custa absolutamente nada e você ganha destaque.” O empreendedor que não tem tempo de fazer um trabalho adequado de produção de conteúdo pode contar com a ajuda de empresas especializadas, com custos variáveis.

“O Google, por exemplo, é dividido em três áreas. A área gratuita fica do centro para baixo. Você não irá aparecer nas primeiras posições. Esse trabalho é o que chamamos de SEO (Search Engine Optimization) e é bem complexo. Existem mais de 700 critérios para que o seu site fique amigável aos motores de busca”, explica Alex.

Anúncios e links pagos

Aparecer de forma gratuita, porém, leva tempo: geralmente, de 8 a 15 meses. Para quem deseja resultados mais rápidos, o caminho ideal pode ser investir na área paga dos sites de busca, por meio de anúncios e links patrocinados. “O investimento em Google Adwords (principal serviço de publicidade do Google) é imediato. Você paga o credito para o Google e uma porcentagem para a agência criar a campanha. Funciona mais ou menos como um celular pré-pago. Você deposita o crédito, que só acaba conforme as pessoas clicarem no seu anúncio. Se ninguém clicar, você não paga nada. É objetivo, rápido e um investimento controlável”, garante Alex Pinhol.

Outra poderosa ferramenta de marketing é a utilização de landing pages (páginas de entrada). Ao clicar em um link de uma campanha, o cliente encontra de imediato o que o anúncio oferecia, ao invés de cair na homepage da loja, onde pode se perder.  “Se você procura por um ar-condicionado, não quer cair na página principal da Brastemp, mas na seção de refrigeradores. Na landing page, o cliente já entra na página específica com o que procura, com conteúdo em texto, vídeos e fotos, tabela de preço e formulário de contato e telefone. É importante trazê-lo diretamente para a página que lhe interessa.”

Quanto investir? 

Com as duas opções, gratuita e paga, como decidir no que apostar? De acordo com Alex, tudo depende dos objetivos do empreendedor. “Se você quer aparecer por 24 horas no Google, incluindo finais de semana e feriados, é interessante investir no SEO. Os anúncios pagos têm horários. Muitas vezes, para o pequeno e-commerce, sugiro investimento inicial na parte paga do Google. Com 800 reais por mês (400 para o Google e 400 para a agência), é possível fazer um trabalho bacana, em que ele ganhará um bom destaque, de imediato. É muito rápido e faz com que uma loja desconhecida comece a ter divulgação.”


FonteiG FotoAd.Future / Edição: Blog WRB
Pequenos negócios podem crescer com redes sociais e buscadores na web Pequenos negócios podem crescer com redes sociais e buscadores na web Reviewed by Natan Cardoso on 12/23/2015 09:08:00 AM Rating: 5

WRB nas redes sociais