O Museu de Ricardo Brennand o melhor da América Latina


Com 77 mil m², em 180 mil m², o Museu de Ricardo Brennand em Recife Pernambuco, simplesmente um dos maiores  e melhores museus da América Latina, o instituto está sediado em um complexo arquitetônico em estilo medieval, composto por trés prédios: Museu Castelo São João, Pinacoteca, Galeria e a Capela Nossa Senhora das Graças, circundados por um vasto parque. O maior e melhor museu da América Latina  O Museu de Ricardo Brennand , a maior parte proveniente da Europa e da Ásia, produzidas entre os séculos XIV e XXI. Já em 2014 foi eleito e também o 19º do mundo.


Os jardins de Brennand São cerca de 18 mil hectares, decorados lindamente, com enormes fileiras na direita e esquerda de palmeiras imperiais indicando o caminho dos castelos.. Lagos artificiais, ponte levadiça, brasões em alto relevo… Esculturas enormes que reproduzem grandes obras da humanidade, como  estatua de Davi de Michelangelo é uma das cinco réplicas da estátua de David, feitas utilizando mármore retirado da mesma pedreira da original, em Pietrasanta (Itália). A peça é uma das mais conhecidas do artista e retrata o herói bíblico que derrotou o gigante Golias. Localizada em um espaço privilegiado nos jardins, a escultura feita pelo estúdio Cervietti Franco é rodeada por bancos.  A Dama e o Cavalo, de Botero. A Dama e o Cavalo, de Botero do colombiano Fernando Botero". A peça de bronze platinado tem posição de destaque entre similares feitas pela da gaúcha Sonia Ebling, retratando rinocerontes, pássaros e felinos.





Ao entrar no Castelo São João, o que mais chama atenção é um cachorro empalhado coberto com uma armadura. "Não visitei todos os museus do mundo, obviamente, mas não lembro de ver algo assim em lugar nenhum. Me arrisco a dizer que temos a única armadura canina em exposição", disse o coordenador do IRB.  Espadas do Rei Faruk I, de sua vasta coleção, Ricardo Brennand diz ter um carinho especial por duas espadas que pertenceram ao rei Faruk I, do Egito, último monarca do país antes da proclamação da República, em 1953 [Faruk abdicou do trono durante a revolução de 1952, mas como seu filho, Faud II, tinha apenas um ano na época, ele não chegou a ser corado]. As duas armas que pertencem ao colecionador são laminadas em ouro e contêm diversas pedras preciosas nos punhos.



O primeiro prédio que a gente visita impressiona pela grandiosidade. O salão é imenso, os lustres são enormes. Tudo na Galeria parece ser um lembrete para a ostentação.Entre os três prédios do complexo,  é o menos expressivo em números de peças expostas. São algumas dezenas de quadros nas paredes, que circundam o enorme salão de piso branco e preto. A Pinacoteca  Por lá, estão expostos quadros, peças de escultura, tapeçaria, artigos decorativos de diversos lugares e de diferentes épocas. Entre as peças de esculturas está Talvez a maior delas seja a réplica de O Pensador, de Rodin. Essa é uma das 25 cópias da peça que foram feitas utilizando um molde do original. E essa é só uma das maravilhas que fazem do Instituto um dos museus mais impressionantes.  Além disso, a Pinacoteca é equipada com a melhor tecnologia para preservação e segurança das obras.


Castelo São João





A arquitetura reproduz um castelo medieval, cenário ideal para a guarda da inacreditável coleção de armas brancas de Brennand, uma das maiores do mundo. Além de canivetes, espadas e outras armas, estão expostas também armaduras, chaves, armas modernas e esculturas. Tem até fuzis que pertenceram a D. Pedro I e D. Pedro II. É como mergulhar num passeio pela história, com cavaleiros e armas provenientes da Europa, Ásia, Américas e África.  As peças são classificadas por tipo (armas de caça, armas de guerra, armas de proteção pessoal e exibição, armaduras para cavalos e cavaleiros), e são datadas entre os séculos XV ao XXI. Uma das peças que mais gosto é uma armadura completa e completamente preservada de um cavaleiro e seu cavalo, proveniente da Alemanha.


Além da exposição permanente ‘Frans Post e o Brasil Holandês’, atualmente na Pinacoteca estão em cartaz as mostras ‘Paisagem Brasileira do Século XIX’  e o ‘Julgamento de Nicolas Fouquet’, esta última uma recriação da cena do julgamento com bonecos de cera, que impressionam pela precisão e detalhismo.


História de Brennand



Ricardo Brenannd falando com ministro das Cidades.
Ricardo Coimbra de Almeida Brennand (Cabo de Santo Agostinho, 27 de maio de 1927). Com sete anos, Ricardo ganhou um canivete do seu tio, que também se chamava Ricardo Brennand. Esse pequeno evento que podia passar desapercebido na vida de muita gente transformou o pequeno Ricardo em um colecionador de armas brancas. Os anos se passaram e ele é um engenheiro, empresário e colecionador brasileiro,mas, da ascendência Inglesa. O idealizador e patrono do Instituto.  Brennand é Industrial, engenheiro de formação pela UFPE, casado, pai de 8 filhos, que demonstra em seu entusiamo a juventude que a o amor pela arte.  Inicialmente foi industrial da área canavieira (cana de açúcar), Ricardo dedicou-se aos negócios de sua família - fabricação de vidro, aço,cerâmica, cimento, porcelana e açúcar.  Já em 1949 ele começou  colecionar armaria em especial armas brancas e depois armas mediaval.  Em 1999, o empresário vende as fábricas de cimento, utilizando parte dos recursos para fundar o Instituto Ricardo Brennand, inaugurado no segundo semestre de 2002.

Expediente do Museu



O Instituto Ricardo Brennand é uma instituição cultural brasileira localizada na cidade de Recife, no bairro da Várzea.   Endereço: Alameda Antônio Brennand, s/n - Várzea, Recife - PE, 50791-904
Horário: Fechado ⋅ Abre qua às 13:00 e fecha às 17:00 horas.
Telefone: (81) 2121-0365, Presidente: Ricardo Brennand.  /  Fundação: setembro de 2002, / Tipo: História, Armaria, Artes. As visitas de grupos de pessoas, sejam de colégios, instituições tem que ser pré-agendando.

Site: www.institutoricardobrennand.org.br
Endereço: Engenho São João, s/n, Várzea, Recife.
Funcionamento: De terça a domingo, das 13h às 17h.
Quanto: R$30,00 (inteira) e R$15,00 (meia)
Informações:  (081) 2121-0352 ou 2121-0365

Os interessados em outros pacotes entre em contato com a empresa Excursão Executiva (83) 98705 -7656  ou (83) 99936 - 8768 e também pode acessar o Site da empresa: www.excursaoexecutiva


Museu Cais do Sertão



Aquele museu atua apenas a partir do ano de 2013, já atua como um dos modernos centros culturais do Brasil, com com galhos secos iluminados,  por outro lado retrata também a o berço da cultura nordestina, enfocando fortemente grandes registro de Luiz Gonzaga o Rei do Baião, através da música e suas coleções vinil, objetos dele, e como também registra como obra permanente no próprio piso formando o trajeto do Velho Chico, com água e peixes, também o sol da Caatinga, o seme-árido os materiais de trabalho do homem do sertão, suas vestes.  Tudo isso e mais, para quem é da região ou gosta fica irresistível não visitar esse museu.




Passeio de Catamarã





Segundo o Jornalista, Silvio Oliveira, que escreve sobre Turismo, recebeu o convite das empresas Catamarã Tours e receptivo e agência de viagens RVL Turismo descreveu em detalhes assim alguns tópicos: " Passear pelo rio Capibaribe a bordo do Catamarã Tours, ouvindo belas canções de compositores pernambucanos e apaixonados por eles, além de observar prédios históricos datados do início dos séculos XVII e XVIII é um dos roteiros mais apreciados por quem visita à capital pernambucana, Recife. E não é somente um passeio turístico. É deixar contagiar-se com a magia e o imaginário pernambucano de outrora através do passado no presente, contando com a alegria, a emoção e a motivação de seu povo.  O passeio acontece diariamente às 11h, 16h e 20h, e aos domingos também às 14h30 e 17h30, contando com um roteiro diferenciado por outros bairros do Recife. A saída é a partir do restaurante Catamaran, no bairro de São José, Cais de Santa Rita, e custa R$ 50 para adultos. É bom entrar em contato antes para verificar disponibilidades de horários e preços.




Acrescentou “Recifes e suas Pontes” e o indica sem pestanejar. Recife de encantos e cheio de história para contar, motivado pela natureza dos rios Capibaribe e Beberibe, faz do passeio imperdível aos olhos dos visitantes que querem conhecer um pouco mais da do Brasil colonial pela ótica da antiga Província de Duarte Coelho. O passeio dura em média uma hora e meia e passa sob cinco pontos: Giratória, Maurício de Nassau, Manuel Buarque de Macedo, Princesa Isabel, Duarte Coelho, todas elas com suas histórias, estruturas, contos e encantos. O catamarã passa bem pertinho do Marco Zero, com seus emblemáticos edifícios Maurício de Nassau, de características modernas e fachadas em vidro; da Associação Comercial de Pernambuco e da Bolsa de Valores, hoje ocupados por museus e centros culturais. Há também os armazéns do antigo porto do Recife, que abrigam restaurantes e bares. Do lado esquerdo da Bacia do Pina fica os arrecifes que viraram pontos turísticos,




FonteG1 de PernambucoFotoDébora Soares
O Museu de Ricardo Brennand o melhor da América Latina O Museu de Ricardo Brennand o melhor da América Latina Reviewed by Walter Rafael on 1/31/2018 05:41:00 PM Rating: 5

WRB nas redes sociais